voltar        
 

O objetivo e a pertinência desta publicação residem na importância de rever conceitos e concepções pela via do currículo, à luz de estudos sobre sua história e a das disciplinas acadêmicas. Com isso, busca-se compreender formas sutis do processo de produção curricular como amálgama dos embates sociais, políticos, culturais e epistemológicos que se concretizam na história da educação brasileira. Há aqui, entre outros achados, pistas importantes para o conhecimento dos currículos de formação do professor, sobretudo no que se refere à produção de discursos medicalizantes acerca do fracasso escolar ainda presentes na prática pedagógica. Os elementos aqui apresentados sem dúvida favorecem a análise não só do currículo como produtor de rótulos e estigmas para crianças “nada especiais”, mas também das raízes da patologização do fracasso escolar. A consideração do conhecimento como parte vital do que somos, ou seja, da construção tanto da identidade quanto da subjetividade torna possível reconhecer suas fontes e matrizes, ampliando o alcance da interpretação do currículo como documento de identidade.

O olho clínico do professor
  um estudo sobre conteúdos e práticas medicalizantes no currículo escolar
  Dayse Martins Hora  
16 x 23 cm | 262 p. | 978-85-7740-093-5 | 2011
  R$ 35,00