O nascimento do Brasil e outros ensaiosO nascimento do Brasil e outros ensaios.
”Pacificação”, Regime Tutelar e Formação de Alteridades

João Pacheco de Oliveira

384 p. | il. color | 2016 | 16 x 23 cm | 1ª edição | 978-85-7740-206-9

R$ 64,00


Tratar os indígenas como protagonistas e agentes efetivos da construção do Brasil não é uma tarefa simples e suas repercussões ultrapassam largamente questões setorizadas e pontuais. O pesquisador, como se mexesse num castelo de cartas, logo é levado a rever as mais frequentes e consagradas interpretações realizadas sobre eles, bem como as formas de constituição da memória e de uma história nacional.
Assim, é imprescindível que questione categorias e práticas derivadas de modelos jurídicos coloniais (ainda bem vivos), explicite pressupostos e crenças subjacentes (raramente conscientes), e busque superar limites disciplinares. Muitas vezes, as consequências de suas ações não apenas não se restringem à temática indígena e aos objetos usualmente abordados pela etnologia e a etno-história, como também implicam o reexame crítico do passado e o reenquadramento comparativo de certos aspectos do mundo contemporâneo.
Embasado numa perspectiva etnográfica e dialógica, este novo livro de João Pacheco de Oliveira se vale da antropologia histórica para tecer diálogos entre o mundo colonial e a contemporaneidade, poderes disciplinadores e modos de resistência e formação de alteridades, e as políticas públicas nacionais e a mundialização.


Sobre o autor:
João Pacheco de Oliveira. Antropólogo. Professor titular do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, realizou prolongada pesquisa de campo com os índios Tikuna (Amazônia), da qual resultaram sua dissertação de mestrado (UnB, 1977) e sua tese de doutoramento (PPGAS, 1986). De 1986 a 1994, coordenou amplo projeto de monitoramento das terras indígenas no Brasil. Pesquisador 1A do Conselho Nacional de Pesquisas/CNPq e Cientista do Nosso Estado/FAPERJ, foi presidente da Associação Brasileira de Antropologia (1994–1996), diversas vezes coordenador de sua Comissão de Assuntos Indígenas e professor visitante em centros de pós-graduação e pesquisa no Brasil e no exterior. Autor de diversos livros, entre os quais Ensaios de antropologia histórica (1999), é coautor de A presença indígena na formação do Brasil (2006) e organizador de A presença indígena no Nordeste (2011). Atualmente, dedica-se a questões ligadas tanto à antropologia do colonialismo e à antropologia histórica quanto a museus e coleções etnográficas. Fundou com lideranças indígenas o Maguta: Centro de Documentação e Pesquisa do Alto Solimões, origem do Museu Maguta. Para outros textos e informações, ver www.jpoantropologia.com