Atlantida Observador:Objeto
Sobre a pintura de Adriano de Aquino

Adriano de Aquino [obras]
Luiz Eduardo Meira de Vasconcellos [texto]
96 p. | il. color. | 2013 | 20,5 x 24,5 cm | 1ª edição | 978-85-7740-143
-7

R$65,00

O livro apresenta a produção pictórica de Adriano de Aquino desde 2001, com ênfase nas 20 obras apresentadas na exposição 00:00 – pinturas recentes, inaugurada em 12 de dezembro de 2012 na galeria Gustavo Rebello Arte, no Rio de Janeiro. O percurso desses 12 anos se resume a três séries de obras – Divisões internasFormas magnéticas transitórias e 00:00 –, mostradas anteriormente em sete outras oportunidades. Além do texto composto para o livro, há cinco outros escritos em 2007 e 2008, que foram pontualmente alterados para esta publicação. Por meio deles, pode-se acompanhar a construção e o desenvolvimento das duas outras séries, bem como a trajetória percorrida pelo artista no período em questão.


Adriano de Aquino

Inicia sua carreira em meados da década de 1960, participando dos Salões Nacionais de Arte Moderna de 1963 e 1964, e da exposiçãoOpinião 65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (mam-rj). Em 1973, parte para uma temporada em Paris, no âmbito de uma bolsa de estudos concedida pelo governo francês, expondo nas mostras coletivas Arte contemporânea das Américas, em Ardéche, França, em 1975, e Arte actual de Iberoamérica, em Madrid, Espanha, em 1977. De volta ao Brasil, participa da exposição América Latina – Geometria sensível, no mam-rj, em 1978, e dá início a uma série de exposições individuais, entre as quais Série Negra, na Galeria Montessanti, no Rio de Janeiro e em São Paulo, em 1988, e Poética das cores e das formas, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, em 1992. A série Divisões internas, iniciada em 2001 e uma das abordadas neste livro, foi apresentada no Paço Imperial, no Rio de Janeiro, em 2007, sendo seguida das duas outras séries tratadas aqui: Formas magnéticas transitórias, apresentada na oá Objeto Arte, em Vitória, nesse mesmo ano, e na caixa Cultural São Paulo e na caixa Cultural Rio de Janeiro, em 2008, e 00:00, exibida na galeria Gustavo Rebello Arte, de dezembro de 2012 a janeiro de 2013.

Luiz Eduardo Meira de Vasconcellos

Editor, tem acompanhado e escrito sobre a obra de artistas brasileiros, entre os quais Gonçalo Ivo, João José Costa e Manfredo de Souzanetto. Autor, entre outros livros, de Decurso: fotografias de Jaime Acioli (Contra Capa, 2009), Sobrevitória: Coleção Marcio Espindula (Museu de Arte do Espírito Santo, 2011), Entreinterposto: pintura e geometria na obra de João José Costa (Contra Capa, 2011) e Chico Fortunato: pinturas recentes (Contra Capa, 2012), este com Vera Pedrosa.