O ano do dragãoAmericanidade, puritanismo e política externa
Erica Simone A. Resende
368 p. | 2012 | 16 x 23 cm | 1ª edição | 978-85-7740-106-2


R$44,00

Guerra ao Terror é, até hoje, objeto de vasta literatura que busca entender e explicar suas múltiplas dimensões e suas implicações para a política externa norte-americana. Fruto de 5 anos de pesquisa, a presente obra problematiza o papel dos discursos na construção social da realidade, das identidades e dos interesses com o objetivo de compreender as condições de possibilidade da política de segurança de George W. Bush no pós-Onze de Setembro. Segundo a autora, a Guerra ao Terror somente se tornou possível devido à existência de um discurso de americanidade capaz de dar inteligibilidade à realidade após a crise de significados do Onze de Setembro. Trata-se de um discurso de americanos sobre americanos e sobre a América que, por meio de formações imaginárias criadoras de realidades, sujeitos, objetos, ações e relações, regula o que pode ser pensado, dito, compreendido e concebido com base em uma posição específica em um determinado momento histórico.
O discurso de americanidade exteriorizaria uma formação discursiva específica – de genealogia puritana – que seria reproduzida nas práticas de política externa norte-americana. Pelo emprego de métodos de análise discursiva, a autora aponta como a Guerra ao Terror reproduz a estrutura de significados, narrativas, mitos e representações dos sermões políticos típicos dos puritanos da América Colonial do século xvii: os “jeremíadas”. Apesar da afirmação quanto à separação entre Igreja e Estado, entendemos que os Estados Unidos da América, por meio de suas práticas de política externa, construíram sua identidade nacional como ideologicamente puritana.


SOBRE A AUTORA:

Com formação multidisciplinar em Direito, Relações Internacionais e Letras, Erica Simone A. Resende é mestre e doutora em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é Professora de Relações Internacionais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). É Fulbright Scholar desde 2006 e ex-intercambista do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América.